Contextualização

As doenças endémicas como o HIV, malária, tuberculose e cólera continuam sendo um peso para a saúde pública no país, apresentando alta incidência e prevalência, disseminando-se rapidamente causando surtos, epidémicos. Assim, de modo a reduzir o peso destas doenças foi criado o PDEGIS que tem como função integrar as actividades de pesquisa, de laboratório, de vigilância, de formação e de comunicação realizadas pelo INS na sua vertente temática. 

Objectivos do Programa

(1) Investigar, monitorar e avaliar doenças endémicas com grande impacto para a saúde pública.

Esta acção refere-se à investigação das principais infecções transmissíveis para a maior parte do território nacional. Em alinhamento a estratégia científica da instituição o PDGIS fornece suporte e orientação científica através de: 

  • Realização de inquéritos de prevalência de doenças com grande impacto sanitário;
  • Implementação e monitoria de sistemas de vigilância de base sentinela e laboratorial para as principais síndromes com potencial epidémico;
  • Implementação de novas plataformas robustas de diagnóstico, pesquisa e vigilância para as principais doenças endémicas;
  • Realização de pesquisas clínico-epidemiológicas das principais condições de saúde pública que permitam identificar pontos-chave de transmissão e propagação das doenças endémicas; 
  • Avaliação de novas tecnologias de saúde, incluindo vacinas, em Infecções de Transmissão Sexual (ITS), infecções urinárias, respiratórias e gastrointestinais;
  • Condução de estudos biológicos fundamentais no âmbito das doenças endémicas que permitam entender as interacções entre os agentes causadores das doenças e os hospedeiros e/ou vectores e o ambiente.

Áreas de pesquisa

  • Pesquisa Biomédica

Esta área está focada principalmente na pesquisa de base laboratorial (envolvendo também trabalho de campo) com principal atenção ao patógeno. Estas pesquisas por um lado, compreendem a pesquisa fundamental e translacional em laboratório, e por outro lado, os aspectos bio-moleculares da transmissão e da dinâmica populacional dos patógenos. Estas áreas de pesquisas são fraccionadas em cinco sub-áreas:

a) Bacteriologia de doenças infecciosas (PB-BDE):  dedica-se ao estudo em bactérias com relevância para saúde publica, sua identificação, variantes moleculares, assim como seu perfil de sensibilidade a antimicrobianos. As principais bactérias estudadas no programa de doenças endémicas incluem o Mycobacterium tuberculosis, Vibrio cholerae, Salmonella spp., Shigella spp., Escherichia coli, Streptocuccus spp., Chlamydia trachomatis, Nisseria ghonorreiae, Trichomonas vaginalis, Treponema pallidum, Haemophilus influenzae e Klebsiella pneumoniae. 

b) Virologia de doenças infecciosas (PB-VDE): dedica-se a aplicar métodos de biologia celular e biologia molecular na investigação de doenças virais. Esta sub-área visa estabelecer bases científicas para a melhoria do diagnóstico, tratamento, epidemiologia e controlo de doenças virais. Os principais vírus estudados no programa de doenças endémicas incluem o vírus de imunodeficiência humana (HIV), papilomavírus humano (HPV), vírus da hepatite B (HBV), vírus da hepatite C (HCV), vírus da herpes simples (HSV), vírus sincicial respiratório (RSV), Influenza, Rotavírus, Adenovirus, Astrovirus, Sapovirus, Norovirus e o coronavírus da síndrome respiratória aguda severa tipo dois (SARS-CoV-2).

c) Parasitologia humana (PB-PH): tem como principal foco o estudo da malária causada por Plasmodium spp, particularmente o Plasmodium falciparum. Estes estudos estão centrados na avaliação de novos métodos de diagnóstico, caracterização molecular das estirpes circulantes e sua associação com a resistência aos antimaláricos e a transmissibilidade. Esta sub-área também realiza actividades de pesquisa que visam melhorar o conhecimento de outros parasitas e fungos de grande relevância para saúde pública como, Trichomonas vaginalis, Cryptosporidium spp., Isospora cayetanensis, Cyclospora cayetanensis, Giardia intestinalis, Entamoeba histolytica e Cryptococcus neoformans.

d) Imunologia de doenças infecciosas tropicais (PB-IDET): dedica-se ao estudo multidisciplinar dos processos imunológicos a nível celular, molecular e genético e suas implicações na saúde e patogénese das doenças infecciosas. Esta sub-área também se foca na interacção entre o sistema imune, a composição da microbiota humana e patogenicidade dos agentes infecciosos.  

e) Genética em epidemiologia molecular em saúde (PB-GEMS): que aplica conceitos e métodos de genética e biologia molecular ao estudo de doenças endémicas com grande relevância para saúde pública e de factores que conferem susceptibilidade ou resistência do hospedeiro a tais doenças. 

  • Pesquisa Clínica

Para esta área, o hospedeiro/paciente é o principal foco da pesquisa, sendo  estes estudos a aplicação dos fundamentos científicos das pesquisas biomédicas. Os campos de pesquisa incluem avaliação de abordagens para diagnóstico, prevenção e de tratamento de doenças infecciosas com grande importância para saúde pública, em um determinado paciente. As pesquisas incluem:

a) Ensaios clínicos terapêuticos ou profiláticos (PC-ECTP): fazem uma avaliação sistemática de produtos como vacinas, anticorpos ou medicamentos, em voluntários humanos que seguem estritamente as directrizes do método científico. O objectivo destas pesquisas é descobrir ou confirmar os efeitos e/ou identificar as reacções adversas ao produto investigado e/ou estudar a farmacocinética dos ingredientes activos, de forma a determinar sua eficácia e segurança. Os principais ensaios clínicos incluem avaliação de vacinas ou outras abordagens profiláticas para o HIV, rotavírus, pólio, HPV e SARS-CoV-2; avaliação de novas abordagens terapêuticas para TB, malária, HIV e SARS-CoV-2.

b) Estudos observacionais do tipo coorte (PC-EOC): investigam os resultados a longo prazo na saúde de um grupo de pessoas (estudos longitudinais). Nestes estudos, os indivíduos com um ou mais perfis de exposição a doenças endémicas são seguidos para avaliar a incidência, prognóstico e causas da doença, em determinado período de tempo.

c) Estudos observacionais do tipo caso-controlo (PC-EOCC): comparam indivíduos com uma condição de saúde conhecida, neste caso uma doença endémica, e aqueles sem ela, para entender por que alguns indivíduos ficam doentes e outros não.

d) Estudos observacionais do tipo transversal (PC-EOT): geralmente usados para comparar grupos em um único ponto. 

  • Pesquisa em Saúde Pública

Esta linha inclui estudos epidemiológicos e de controlo de doenças ao nível da população humana. Aqui são focados estudos epidemiológicos descritivos de abrangência populacional e abordagens de vigilância de doenças endémicas com grande impacto sanitário. Nesta área estão incluídos os pequenos e grandes inquéritos de prevalência das principais doenças endémicas, como o HIV, malária, tuberculose e recentemente do novo coronavírus SARS-CoV-2/COVID-19. Esta área também inclui a vigilância de base laboratorial, em postos de sentinela e de base comunitária para as principais síndromes com potencial epidémico com especial realce das infecções respiratórias agudas e diarreicas. 

Projectos de investigação

Até o momento, o PDEGIS tem inscritos mais de 40 projectos em diferentes áreas de pesquisa. 

  1. Padrões de resistência do Mycobacterium tuberculosis aos fármacos da primeira linha detectados pelo método Line Probe Assay em amostras referenciadas ao Laboratório Nacional de Referência da Tuberculose (LNRT) no período de Julho a Dezembro de 2019
  2. Avaliação da tecnologia EasyScan GO para diagnóstico de malária em Moçambique
  3. Estudo in vitro do potencial anti-inflamatório de extratos de Moringa oleifera no âmbito da COVID-19
  4. Caracterização da imunidade específica para o SARS-Cov-2 em indivíduos em convalescença (HVTN 405)
  5. Close the Gap, Increase Access, Provide Adequate Therapy (CAP-TB)
  6. Estudo para avaliação de mutações de Resistência em TB (MDR-TB)
  7. Estudo Filodinâmica e Caracterizacão Molecular do HIV-1
  8. A Phase IIb three-arm, two-stage HIV prophylactic vaccine trial with a second randomisation to compare TAF/FTC to TDF/FTC as pre-exposure prophylaxis (PrepVacc)
  9. Ensaio Clínico randomizado de Fase 1/2a parcialmente duplo-cego para caracterizar a segurança e a imunogenicidade de ALVAC-HIV (vCP2438) clade C e gp120 Subtipo C Bivalente sozinho, com o adjuvante MF59®, ou com o adjuvante alúmen em participantes adultos saudáveis, não infectados pelo HIV” (HVTN107)
  10. Estudo de fase 2b para caracterizar a segurança e eficácia do anticorpo amplamente neutralizante VRC01 na redução da aquisição da infecção por HIV-1 (HVTN703/HPTN081)
  11. Um estudo de eficácia, multicêntrico, randomizado, duplo-cego, controlado por placebo, fase 2b, de um regime de vacinação heterólogo indução/reforço de Ad26.Mos4.HIV e Clade C gp140 adjuvada por fosfato de alumínio na prevenção da infecção por HIV-1 em mulheres na África Subsaariana (HVTN705)
  12. Estudo aberto, multicêntrico, randomizado e adaptativo sobre a segurança e eficácia de várias estratégias de tratamentos, incluindo antivirais, versus controlo em casos leves de COVID-19 (ANTICOV)
  13. Um estudo internacional randomizado de tratamento adicional para COVID-19 em pacientes hospitalizados que estão a receber o padrão local de tratamento (Solidarity Trial- Public Health Emergency)
  14. Um ensaio controlado randomizado de duas terapias coadjuvantes dirigidas ao hospedeiro na tuberculose resistente à rifampicina (DRTB-HDT)
  15. Um novo regime Pan-TB direccionado ao hospedeiro e Micróbio (PanTB-HM)
  16. Inibidores de Interferon para reduzir a Mortalidade em Pacientes Infetados com HIV-1 e Tuberculose Meníngea: Um ensaio clínico randomizado, multicêntrico de fase 2 (Timpani – ANRS 12404)
  17. Ensaio clínico para comparação da imunogenicidade da vacina inactivada contra poliovírus (IPV) administrada em doses reduzidas por via intramuscular ou intradérmica em lactentes aos 2 e 4 meses de idade, na Cidade de Maputo
  18. Ensaio clínico para comparação da imunogenicidade da vacina inactivada contra poliovírus (IPV) administrada em doses reduzidas por via intramuscular ou intradérmica em lactentes aos 2 e 4 meses de idade, na Cidade de Maputo
  19. Interrupção do tratamento analítico anti-retroviral (ATI) para avaliar respostas imunológicas e virológicas em participantes que iniciaram a TARV na infecção precoce pelo HIV após terem recebido VRC01 ou placebo no HVTN 703 / HPTN 081 (HVTN 805 / HPTN 093)
  20. Neonatal HIV early infant diagnosis (EID) versus standard of care EID- Long term impact on infant health (LIFE)
  21. The impact of video observed therapy in patients with RR/MDR TB  coinfected with HIV or not, on all oral regimens in Maputo, Mozambique (TIVO)
  22. Optimizing the acoustic analysis of cough as a novel technology for the screening and diagnosis of tuberculosis and other present respiratory conditions (AcuScreen)
  23. Fortalecimento dos serviços de diagnóstico de Tuberculose pediátrica para a detecção precoce e melhorada (TB SPEED HIV)
  24. Avaliação precoce do risco nos contactos de pacientes com Tuberculose através de novos testes de diagnóstico (ERASE TB)
  25. Impact of COVID-19 epidemic on clinical outcomes and service delivery among people living with HIV and health care workers in Mozambique
  26. A Cohort on Babies as a Platform to Study the Role of Human Milk Oligosaccharides (HMOs) on Immune Response to Rotavirus Vaccine in Children from Maputo-Mozambique (RHuMOR_VAC)
  27. Um estudo prospectivo de respostas imunes agudas à infecção por SARS-CoV-2 (CoVPN 5001)
  28. Avaliação da melhor abordagem para a implementação do autoteste entre a população-chave nas Cidades da Beira e Quelimane e Inchope
  29. Pathogenesis and risk factors of long‐term sequelae of pulmonary TB defining individual outcomes and public health impact (TB Sequel)
  30. Development of an HIV negative Registration cohort for future participation in an HIV vaccine study (Prepvacc Cohort)
  31. RaPaed and Accurate Diagnosis of Pediatric TB (RAPAED TB)
  32. Uma avaliação do impacto da melhoria do saneamento na resposta imune a vacina oral contra o rotavírus, em crianças nascidas de mães inscritas num estudo de intervenção, controlado, em bairros de baixa renda do Município de Maputo, Moçambique (SANIVAC)
  33. Optimizando a Segurança do Tratamento da Tuberculose Resistente aos Medicamentos com Audiometria Móvel e Testes de ECG para Detecção Precoce de Complicações (AudiomEC)
  34. Melhoria do diagnóstico das ITS usando Testes Rápidos em Raparigas, Adolescentes e Mulheres Jovens (RAMJ) em Moçambique
  35. Urban Infant Foodscape  (Food Safety)
  36. Busca activa de casos de Tuberculose escalável utilizando ferramentas moleculares POC (Xpert Omni): um ensaio controlado randomizado (XACT III)
  37. Análise da Prevalência de HIV, Hepatites Virais, Sífilis e Tuberculose em Pessoas que Usam Drogas, usando dados de rotina de um Centro Comunitário na Cidade de Maputo
  38. Mapeamento Sero-Epidemiológico da Infecção por Coronavírus (SARS-COV-2) em Moçambique
  39. Prevalência e factores de risco da infecção por P. falciparum em mulheres grávidas infectadas pelo HIV no distrito de Chókwe, província de Gaza, Moçambique (2014-2015)
  40. Caracterização da transmissão da SARS-CoV-2 numa população peri-urbana em Moçambique, utilizando a (sero) vigilância de base populacional  (AfriCoVer)

Parceiros

O PDEGIS estabelece parcerias com instituições nacionais e internacionais com o objetivo de fortalecer aspectos técnico-científicos do INS, através da criação de sinergias que levem a troca de experiências em pesquisa com impacto na saúde pública e desenvolvimento de capacidade. Estas parcerias não só servem para apoiar no desenvolvimento das actividades do programa como também permitem apoiar nos eixos estratégicos definidos pelo INS com principal ênfase no ensino e educação onde estudantes das universidades nacionais e técnicos de diferentes níveis aproveitam das bolsas de longo e curto prazo financiadas pelos nossos parceiros. Abaixo alguns dos nossos parceiros:

Nacionais

  • Centro de Investigação em Saúde de Manhiça (CISM) 
  • Universidade Eduardo Mondlane (UEM)
  • Instituto Superior de Ciências de Saúde (ISCISA)
  • Universidade Pedagógica (UniMaputo)
  • Universidade Lúrio (UniLúrio)
  • Universidade Rovuma (UniRovuma)
  • Elizabeth Glaser Paediatric AIDS Foundation
  • CDC Global Health – Mozambique
  • Mozambique – Clinton Health Access Initiative
  • Médicos Sem Fronteira (MSF)

 Internacionais 

  • Ludwig Maximilian University of Munich – (LMU), Alemanhã
  • University of Bordeaux, França
  • Barcelona Institute for Global Health (ISGlobal), Espanha
  • The London School of Hygiene & Tropical Medicine (LSHTM), Reino Unido
  • Institute of Tropical Medicine Antwerp (ITM), Bélgica 
  • Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT), Portugal
  • HIV Vaccine Trials Network (HVTN), Estados Unidos da América 
  • US Military’s HIV Research Program (MHRP), Estados Unidos da América 
  • Division of AIDS, NIH, Estados Unidos da América 
  • Karolinska Institute, Suécia
  • The Public Health Agency of Sweden (Folkhälsomyndigheten), Suécia
  • Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Brasil
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Brasil

Coordenadora do Programa: Raquel Matavele Chissumba